O QUE É BAKING?

Para entendermos o que é "Baking", inicialmente é preciso conhecer como funciona um blockchain. Em linhas gerais: de maneira distribuída. E precisa que participantes espalhados pelo mundo participem do que é conhecido como "segurança da rede". Blockchain pressupõe descentralização. Aqui não existe uma entidade certificadora que atesta a veracidade das transações. Ao contrário, essa tarefa é realizada por indivíduos participantes da rede, que instalam em seus computadores o software do blockchain em questão e então esse programa passa a validar as operações. Essa validação funciona sobre o paradigma do "Proof of Work" (POW), que consiste no uso de força computacional intensa a fim de decifrar um enigma matemático. Aquele que consegue achar a resposta antes dos demais, ganha o direito de assinar um bloco e é remunerado por isso. Desde o advento do Bitcoin, vários outros blockchains foram criados. Boa parte sendo cópia do mesmo. Entretanto começou a surgir uma nova geração de blockchains, que criticava o desperdício de energia elétrica ocasionado na tarefa de segurança de rede baseada em "Proof of Work" e trazia uma alternativa: o "Proof of Stake".

Este método utiliza "reservas financeiras" como garantia de que os participantes da rede seguirão as regras, fazendo com que, caso tenham um comportamento predatório, sofram sanções e percam as reservas que "puseram em risco" a fim de participar da rede. É uma abordagem onde a recompensa por ser ético supera qualquer possibilidade de ganho na tentativa de burlar as regras, o que tem um custo muito alto.

Na rede Bitcoin, Ethereum e muitas outras, geralmente se usa "Proof of Work" e a participação na segurança da rede é conhecida como "Mineração" (Mining), como que se os nós da rede estivessem tentando escavar seu próximo Bitcoin.

No blockchain da Tezos não existe mineração (nem POW), porque é uma rede baseada em "Proof os Stake". A prática, na Tezos, é chamada de "Baking" (que, traduzido literalmente significa panificação ou confeitaria). O termo foi escolhido pelos desenvolvedores de Tezos, que, dizem, são aficionados por gastronomia.

Para se tornar um Baker (um participante da rede Tezos), o indivídio deve possuir pelo menos um "bond", o que equivale a 10.000 XTZ. Para evitar a concentração de renda e evitar que alguns poucos se tornem mais poderosos do que a maioria na rede, existe a possibilidade de, quem tiver menos do que esse montante, "delegar" sua parte (por menor que seja) para outros, a fim de que façam Baking por ele. Dessa forma, se dez pessoas possuidoras de 1.000 XTZ se unirem a fim de participarem do processo de Baking, isso se torna possível. A operação de delegação é tão simples quanto copiar o endereço do participante que fará a operação, informá-lo na carteira de Tezos e pressionar um botão para confirmar a operação. O mais interessante é que os recursos jamais deixam a carteira do usuário, que continua com o controle sobre elas, podendo gastar, acrescentar, ou o que for. Apenas, se retirar antes do prazo de maturação da operação, perderá o rendimento e terá o proporcional ao tempo que permaneceu..

SAIBA MAIS SOBRE NOSSO BAKER

Oferecemos nosso próprio Baker para quem tiver interesse em participar da segurança da rede Tezos.